Bloco das Piranhas PDF Imprimir

O Bloco das Piranhas surgiu da irreverência de alguns santarritenses que subiam em caminhões para fazer o translado entre centro da cidade e o “Bar do Bá” - um dos pontos mais agitados naquela época. No início, cerca de vinte pessoas se vestiam de mulher e saíam batucando pela cidade afora.

Segundo os primeiros participantes, o precursor do “Bloco das Piranhas” é o famoso Luiz Bem. Em 1993, Luiz Carlos Lemos Carneiro foi convidado a participar do evento. Foi ele quem deu o impulso necessário para fazer do “Bloco das Piranhas” um evento de massa. Naquele ano, foi o desfile mais irreverente que a cidade havia visto até então. Através de um espetáculo excêntrico, os homens mais respeitados de Santa Rita se vestiam de mulher, enchiam o sutiã de papel e soltavam a franga em torno da praça. Ao som de três fitas K7 com músicas gravadas na Bahia, Santa Rita do Sapucaí foi tomada por Axé, Frevo e Marchinhas de Carnaval.

Apartir daí, o número de foliões multiplicou. A cada nova edição deste fantástico evento, milhares de pessoas passavam a fazer parte da brincadeira e esquecer da vida. Com o milagre de multiplicação das Piranhas, veio também a necessidade de melhorar a estrutura do evento. Carros de som, bandas de música e trios-elétricos pareciam não ser suficientes. Em alguns pontos o som chegava a se tornar inaudível mas os foliões nem ligavam. Engatavam alguma modinha controversa e cantavam refrões de gosto duvidoso.

Em 1998, o digníssimo presidente do Bloco era o saudoso Bulacha, que promoveu ensaios todas as noites do mês de fevereiro e aplicou um incrível teste de resistência aos foliões. Segundo contou o presidente, tais medidas foram primordiais para o bom andamento do espetáculo, uma vez que “Consumir o autêntico suco de cana por quatro dias seguidos, requer um excelente preparo”.

Nos anos seguintes, a organização do Bloco voltou para as mãos do incansável Luiz Carlos que dirigiu a afamada agremiação até o ano em que foram obrigados a desfilar na Avenida. Ao abandonar o cargo, o presidente passou a ser Fábio Sillas Juriolli e seu vice Dito Pistola (Benedito Raimundo). A dupla não deixou a peteca cair. A cada ano, crescia ainda mais os visitantes que buscavam naquele incrível Bloco uma diversão sadia e absolutamente hilária.

Atualmente são mais de 20 mil pessoas presentes no desfile que sai sempre na segunda-feira de carnaval, após o meio dia.

Texto de Carlos Romero Carneiro

 

Bloco do Urso

Parceiros

Banner
Banner
Banner
Banner
Copyright © 2009 Cidade do Urso. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por inCoke